Currently viewing the category: "travel"

 

Imagine um cruzeiro com nome de festival. Ou melhor, um festival em pleno mar. Esse é o S.S. Coachella, quando um dos maiores festivais de música do mundo deixa o deserto da Califórnia e monta seu line up em um navio.  E o resultado disso é provavelmente uma das baladas mais legais que já rolou em alto mar.

Nosso enviado especial Lú… (brincadeira, né? hehehe) mas falando sério, o amigo e jornalista Lúcio Ribeiro está a bordo do navio e conta tudo (ou quase tudo) que está acontecendo em por lá,  via Popload. Vale a pena dar uma olhada.

 

Tagged with:
 

Friendly Fires ao vivo no Paradise Rock Club, em Boston, último show da turnê americana do álbum Pala, 27th Oct 2011

Se em Seattle estava frio, em Boston nevou. É, o outono tem sido mais que rigoroso na America  este ano. Fui direto ao Paradise Rock Club, ou apenas The Dise, como o chamam  os locais, o clube mais famoso de Boston, e por onde as principais bandas tocam quando passam por aqui. E foi no the Dise que o Friendly Fires fez o último show da turnê do álbum Pala nos Estados Unidos. Em 1h 30m de show, a banda chutou tudo em uma apresentação impecável para um público impecável. Todo mundo muito estiloso, meio preppy, meio college e um público feminino de impressionar.  A balada estava cheia de gente legal e o Friendly Fires fez ferver o Paradise. No vídeo, eles entram no palco e abrem o show com “Lovesick”.

A cada música, o Friendly Fires se animava mais e o público também. Foi uma grande festa ontem à noite em Boston. O vocalista Ed Mcfarlane descia do palco muitas vezes para cantar junto com a galera.Ed Gibson percorreu todo o mezanino solando no último som. Destaque também para o baterista Jack Savidge, que toca absurdo. O hit single “Paris” fechou o show antes do bis, veja o vibe:

*SETLIST

Na foto, a garota de Boston feliz depois do show levando pra casa o setlist, posa para uma foto:

Lovesick
Jump In The Pool
Blue Cassete
True Love
On Board
Chimes
Skeleton Boy
Show Me Lights
Live Those Days Tonight
Hurting
Pull Me Back To Earth
Paris

Hawaiian Air
Kiss Of Life

*BOSTON SPORTS
Além ter as universidades mais famosas do mundo, Boston é também a cidade dos esportes. Terra do Boston Celtics, e do Red Sox, (dois dos melhores times de basquete e baseball,  consecutivamente) aqui as pessoas param tudo para ver um jogo na TV. Principalmente se for uma rodada da liga nacional de Baseball. Após o show, fui recomendado a conhecer o T’s Pub, um american bar que fica ao lado do Paradise e tem 16 TVs de LCD espalhadas pelo hall e, como se não bastasse,  no centro está um projetor gigante. Todos acompanhavam o jogo 6 entre o Dallas Rangers x St Louis Cardinals, que ganhou de virada empatando a série em 3 x 3, para a alegria dos bostonianos, que berravam “Dallas sucks!” no final da partida. Nunca entendi nada de Baseball, mas ontem aprendi bastante.

O próximo post deste blog, será de volta à Nova York, com o primeiro show da turnê do  Holy Ghost!,  no Bowery Ballroom. Assinados pela DFA Records, o Holy Ghost! é o nome mais comentado na cena indie dance no momento. O show está esgotado e a abertura vai ser com o Jessica 6, um trio do Brooklyn de electro pop bem legal.

Até lá.

Tagged with:
 

Seattle, a cidade que mais respira música do mundo.

Seattle me recebeu com chuva e frio, como tinha que ser. A capital do grunge de 20 anos atrás respira o rock por todos os lados. A música ecoa em quaquer lugar que você esteja, seja no elevador, na farmácia, na loja de departamentos, nas de coffee shops. Só toca coisa boa. O noticiário local das 11 da noite passava uma matéria sobre o Kiss e o da manhã, terminou o horário tocando The Smiths de BG.  Até a propaganda do novo Chevrolet Silverado 2011 tem como fundo a música “Evol”, do Black Rebel Motorcycle Club.

Entrada do museu de música de Seattle. A mostra Nirvana fica em exposição até abril de 2013.

O museu de música Experience Music Project apresenta a mostra Nirvana: Taking Punk To The Masses, com a maior e mais completa memorabilia sobre a história da seminal banda de Seattle. Por todo o complexo, caixas de som ficam ligadas o dia todo. Na entrada da galeria, uma tela de LCD gigante toca uma seleção de vídeos que vão de Soundgarden à Fleet Foxes.

O grunge não sobreviveu,  mas sua marca deixada nos anos 90,  estabeleceu uma estrutura que certamente continua forte. A maioria das bandas locais de hoje afirmam que provavelmente não existiriam, se não fosse pela influência do grunge e do Nirvana.

Mesmo assim,  20 anos depois do mundo conhecer o som de Seattle, a cena hoje é indefinível. Mergulhei em uma das casas mais undergrounds de Seattle, a Funhouse. O lugar recebe shows de bandas locais 7 dias por semana. Na segunda, tocaram as bandas Pound Pound Pound, Rebelmart, Dogs que é de Tóquio,  e o cantor Jay Johnson.  Antes da Funhouse ser a Funhouse, este mesmo palco é onde o Nirvana se apresentava bem antes de imaginar ser o que foi.

A banda punk Pound Pound Pound, ao vivo na Funhouse, em Seattle.

No último final de semana o Heineken Arts Fest 2011 agitou a cidade por 3 dias. O show mais esperado foi, claro, o  Mudhoney no palco do Neumos.  Veja aqui eles tocando “Touch Me I’m Sick”:

O Neumos fica na esquina da 10th Ave com a Pike St e foi onde tudo começou. Aqui tocavam Nirvana, Mudhoney, Fastbacks, Soundgarden, Pearl Jam e todas as bandas que fizeram parte do movimento grunge, antes de estourar. Hoje a casa é rota de shows em Seattle e recebe bandas de porte médio/grande, que estão em turnê pelos Estados Unidos.

Fachada do club Neumos, em Seattle, onde tudo começou.

Cartazes de shows enchem os postes na região oeste da cidade.

*Next stop: Boston.

Tagged with:
 

Rod Mac e Nuria Noguera are from London (bom, ele é de São Paulo e ela de Barcelona, mas vivem em Londres) e de férias no Brasil, fizeram uma visita em nossos estúdios. Rod é baterista da Mr. Red Couch, banda que tem no baixo o Chokito (ex-Wry) e também Mr Ziggy Pop nas guitarras.
Confira tudo o que rolou nesta edição do Studio Eleven.


Studio Eleven # 328 Tracklisting 24/02/2011

01. LCD Soundsystem – Home
02. Peter Bjorn & John – Second Chance
03. Telekinesis – Please Ask For Help
04. Red Drapes – Reflection
05. James Vincent McMorrow – This Old Dark Machine
06. James Pants – Alone
08. Mind Spiders – Neurotic Gold
09. The Love Language – Heart to Tell
10. Melted Toys – Come On
11. Vampire Weekend – Everywhere (Fleetwood Mac Cover)

Tagged with:
 

“Gonna take a trip to Laredo
Gonna take a dip in the lake
Oh, I´m at a crossroads with myself
I don´t got no one else”

Band of Horses,  em “Laredo”.

**

Já conhece o 93 Foundation? Não?? Para ouvir a edição # 326 do Studio Eleven, penúltima do ano, (e conhecer o 93 Foundation) é só dar play.


Studio Eleven #326 Tracklisting 02.12.2010

01. 93 Foundation – Laredo (Band Of Horses cover)
02. Peers – Football
03. Unknown Mortal Orchestra – How Can U Luv Me
04. Girls – Carolina
05. Trogons – Rare Earth Metals
06. Soft Powers – I Began To Cringe At Eight Ten
07. White Wishes – Hold Your Hand
08. Mogwai – Rano Pano
09. Balkans – Georganne
10. Teeel – Triangle Waves
11. The Fantasies – Midnight Boogie

Enquanto você ouve as novidades da semana, veja aqui os 11 motivos que explicam porque Los Angeles foi considerada a  cidade mais legal do planeta em 2010:

1) A Los Angeles ideal: palmeiras, skatistas, bohemia e artistas de cinema ocasionais, todos tomando sol à beira mar. Sim, isso existe e se chama Venice.

2) Bem no centro de Los Angeles estão os bares  especializados nas bebidas que você mais gosta. Para beber tequila vá ao  Las Perlas. Para tomar  whiskey vá ao  Sevend Grand. E para rum,  Caña é a pedida.

3) O hotel mais legal é o The Charlie. São 17 apartamentos no estilo casa de campo, no qual a profusão das flores te deixam isolados de qualquer vizinho inxirido.

4) Falando em arte, Jeffrey Deitch acabou de se mudar de NY para Los Angeles, para ser o curador do MOCA. Segundo ele, “uma das mais dinamicas comunidades artisticas do mundo.”

5) Para comer vá ao  Lazy Ox Canteen, um dos restaurantes mais comentados da cidade.

6) No Griffith Park você pode trilhar uma extensa área deserta no meio da segunda maior cidade da América. Sim, tem sinais de leões e rastros de cobras, mas no meio disso o que você vai encontrar são  atrizes de cinema em suas corridas pós ioga.

7) Na cidade inteira está presente  o Umami Burger, a versão mais criativa do clássico cheeseburger.

8) Existem grandes bares de mesanino abertos o ano todo. Em destaque, o High que fica no Hotel Erwin e oferece uma bela vista para Venice Beach.  Já  o Downtown Standard´s Rooftop Bar esbanja visual com um dos melhores panoramas da cidade.

9) Em Los Feliz, vá a Confederacy, a boutique vintages dos novos estilistas de Los Angeles. Uma seleção seleta de marcas novas merece atenção. São elas: Shipley & Halmos, Rag & Bone e Band of Outsiders.

10) Os melhores restaurantes como o Bottega Louis são tão bons e ainda contam com  o plus de  oferecer pizza napolitana. Não tem como errar.

11) O Coachella Festival, todos os anos, em maio.

E musicalmente falando…

Ariel Pink´s Haunted Graffiti.

Quem: Ariel Pink é o cara mais avant-garde de Hollywood. Depois que formou sua banda com os músicos e os batizou de Haunted Graffiti, lançou 3 álbums. O último, Before Today, lançado este ano tem a vibe certa, bem lo-fi, que vem influenciando uma penca de outras bandas de LA.

Música para ouvir agora: “Round and Round”, no myspace deles.

Pearl Harbor.

Quem: as irmãs Piper e Skylar, 19 e 17, respectivamente, elas vêm de Los Angeles, pegando carona com o Ariel Pink. Seu único lançamento oficial, um 12″  com 4 faixas saiu pelo selo Mexican Summer, guarde bem este nome.

Música para ouvir agora: “Luv Goon”, no myspace delas.

Warpaint.

Quem:  Também da escola do melodrama pop, o Warpaint de vem Los Angeles e é  um quarteto de meninas lideradas pelas vocalistas Emily Kokal e Theresa Wayman, ambas também guitarristas da banda. Junto com elas, Jenny Lee Lindberg no baixo e Stella Mozgawa na bateria, teclados e voz. Todas cantam muito bem.

Música para ouvir agora: “Undertow”, no myspace delas.

Crocodiles.

Quem:  Duo de Los Angeles que deixa o melodrama de lado e imprime muita distorção nas guitarras. As performances ao vivo da banda seguem acompanhadas de uma verve rock descolada.

Música para ouvir agora: “Sleep Forever”, no myspace deles.

Best Coast.

Quem:  Trio de garotas de Los Angeles, que estão excursionando o mundo com sua banda de easy rock. O primeiro álbum “cheio” delas chamado Crazy For You foi mais um tiro certeiro do selo Mexican Summer.

 

Foster The People.

Quem:   A banda independente mais popular de LA, conseguiu seu  feito quando uma de suas canções apareceu no seriado Gossip Girls e tornou-se então o “som do verão” neste ano, nos Estados Unidos.

Música para ouvir agora: “Pumped Up Kicks”, no myspace da banda.

 

Abe Vigoda.

Quem: Banda de nome estranho, esse quarteto de Los Angeles agita a cena alternativa de eletrônica. Entenda-se por alternativa eletrônica, aquele tunts tunts  que agrada os roqueiros na pista.

Música para ouvir agora: “Throwing Shade”, em seu myspace.

No Age.

Quem:  Duo de Los Angeles que mistura punk e arte contemporânea em seu som. O álbum Everything in Between é um dos melhores discos de rock de 2010 segundo este veículo.

Música para ouvir agora: “Glitter”, no myspace deles.

The Soft Moon.

Quem:  De San Francisco vem este projeto de um homem só, com referências que vão de Joy Division a She Wants Revenge.

Música para ouvir agora: “Breath The Fire”

The Fresh & Onlys.

Quem:  Quarteto de San Francisco, lançou neste ano o álbum Play it Strange que é discoteca básica do novo rock.

Música para ouvir agora: “Waterfall”.

Ainda esta semana:

O último programa do ano, apresentando a Cool List 2010, a lista das músicas mais legais que tocamos durante todo o ano.

E 2 DJ sets imperdíveis, em 2 pubs diferentes: no Pub 805 em Franca, na quinta 16;  e no Pub House, em Ribeirão Preto, no sábado, 18,  na Hey Ho! . Te vejo na pista!

Tagged with:
 

The Ten Bells

Bem, hoje foi assim: manhã chuvosa, fria e ventosa, clima típico desta época do ano em Londres (pré-inverno).
Nada me impediu, depois de um café-da-manhã bem reforçado, de dar uma passadinha num dos lugares mais legais da cidade.
Estou falando da região de Brick Lane, Hoxton, Shoeridict e Old Street around.

CSS, Fisherspooner, Wry, Simian Mobile Disco e outras bandas, já passaram e marcaram presença por esses lugares. A cena do Novo Rock começa por aqui. Primeiro uma passadinha num Pub chamado The Ten Bells, fundado em 1666.

Daí, direto para 93 Feet East, onde rolava um som bem legal na levada de Pixeltan. O lance aqui é para falar de Trevor Jackson. O cara é produtor musical e DJ, também é responsável pelo lançamento de bandas novas, sem contar que ele também tem uma parcela no selo Marine Records (aka Adam Freeland+Fabric).

A filosofia dele é a seguinte: ‘Hear new sounds’. Para quem não o conhece, ele já produziu Soulwax, the Rapture e o último single do Gossip. Esses são apenas três nomes de uma longa lista. Ele ressalta: ‘I’m driven by passion for all the stuff. If I don’t feel passion, I can’t do it’. Isso porque ele não bebe muito menos fuma (bom, não sei), mas ele é genuíno naquilo que faz.

Trevor também coopera com o selo alternativo Output, um dos nomes mais respeitados aqui em Londres para este tipo de produção. Outros nomes para a lista: Four Tet, LCD Soundsystem e Playgroup.

Trabalhar com música alternativa é mais interessante porque atinge um público diferente e mais interado, sem contar que hoje em dia tem muita grana rolando e pouca qualidade. Um dos seus recentes projetos foi apresentar um curta-metragem no IMAX em Waterloo.

Se você se interessou e quiser saber mais sobre os trabalhos de Trevor Jackson, está aqui o link.  Have a nice week all of you e no próximo texto falarei de Amsterdam.

Laters.

Escrito por Rodrigo

Tagged with: